ArtigoMercado de trabalho

O impacto da tecnologia no futuro do trabalho

Qual o papel da educação tecnológica no futuro do mercado de trabalho brasileiro?

No mundo todo, a tecnologia muda o comportamento das pessoas e transforma a sociedade. No mercado de trabalho, a mudança promovida pela tecnologia é óbvia e nos apresenta alguns paradoxos. Vivemos, em 2020, em um país com cerca de 11 milhões de desempregados segundo o IBGE e, ao mesmo tempo, sobram vagas de emprego de acordo com o SINE (Sistema Nacional de Emprego). Por que isso acontece?

Competências básicas, como fazer cálculos simples, se expressar de maneira correta e adequada, conhecimentos básicos em informática e inglês, estão faltando aos muitos desempregados que buscam uma oportunidade de trabalho. Além da baixa escolaridade, temos como componente importante, a inserção cada vez maior da tecnologia, o que faz com que os contratantes sejam mais exigentes e se tornem mais seletivos.

Esses ingredientes fazem da educação no Brasil um gargalo para o futuro do trabalho. E todos nós, como sociedade, precisamos nos preocupar.

Com o aumento exponencial da automação do trabalho humano com o uso da inteligência artificial, em um futuro bem próximo, mais e mais qualificações serão exigidas das pessoas.

De acordo com Tânia Cosentino, CEO da Microsoft Brasil, “estamos fadados a fracassar na disputa pelo posto de liderança em inteligência artificial, isso porque, no Brasil, temos baixo interesse por matemática e ciências exatas em geral”. Ainda segundo Cosentino, estima-se que o número de vagas com carência de mão de obra qualificada no Brasil deve chegar a 500 mil nos próximos cinco anos.

Projetando o futuro do trabalho em 2030

Uma visão dividida do futuro encomendado pela Dell Technologies ao IFTF (Institute For The Future), analisou os impactos da tecnologia até 2030. A pesquisa, que contou com a participação de 3800 líderes de negócios de médias e grandes empresas em 17 países, incluindo o Brasil, estima que 85% dos trabalhos que existirão em 2030 serão novos.

“Isso não significa que as profissões como conhecemos hoje serão extintas, mas elas certamente serão transformadas e terão, na parceria homem-máquina, o principal vetor de mudança”.

Sidney Zamel, diretor de marketing e produtos da Dell no Brasil.

Linguagem de programação é o “idioma” do futuro

Fica claro que, no futuro, saber programar será fundamental para se adequar à realidade do mercado de trabalho. A relação com as máquinas e com os algoritmos serão a principal forma de trabalho.

Como, no Brasil, temos um déficit enorme na educação, nosso desafio é ainda maior. As crianças de hoje serão os trabalhadores em 2030 e, por isso, elas precisam aprender a lidar com desafios mentais que exigem pensamento sequencial, lógico, abstrato, além de muita concentração.

Aprender a programar ensina conceitos matemáticos complexos e faz com que as crianças cresçam sabendo resolver problemas abstratos com criatividade e agilidade.

Embora tenhamos casos isolados no Brasil, muitos países europeus e os Estados Unidos estão na nossa frente nesse quesito, pois já incentivam as suas crianças no desenvolvimento destas habilidades.

Se você é mãe, pai ou simplesmente se preocupa com o futuro das nossas crianças, pense se estamos preparados pois, o fato é que 2030 é logo ali e já estamos atrasados.

Quer saber mais sobre as habilidades do profissional do futuro? Leia a matéria “Essas serão as 10 principais habilidades tecnológicas mais populares de 2020” e fique por dentro.

Fonte: Exame | Projeto Draft | IBGE |

Tags

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button
Close