Mercado de trabalhoMundoNegócioNewsTecnologia

Profissionais da área de tecnologia correm riscos de serem substituídos pela automação da Inteligência Artificial?

por: Carlos Natale

O desenvolvimento de novas tecnologias (softwares e hardwares) das últimas décadas mudaram o cenário mundial no que diz respeito ao mercado de trabalho. No passado, empregados de áreas operacionais, em fábricas, foram substituídos por máquinas e robôs. Várias profissões foram extintas ao longo das últimas décadas e hoje, com o desenvolvimento rápido da inteligência artificial, outras tantas irão morrer. Mas, e na área de tecnologia da informação (TI)? Profissionais da área que criam novas tecnologias também correm riscos?

Essa é uma pergunta complicada, mas, se podemos imaginar uma máquina realizando uma atividade que hoje é realizada por uma pessoa, sim, ela pode ser substituída, inclusive na área de TI. Para nos preparar, ou apenas para pensar no futuro, vamos falar sobre quais trabalhos de tecnologia têm menor risco serem automatizadas.

Em uma pesquisa recente da Burning Glass, milhões de anúncios de empregos foram analisados por meio da plataforma NOVA. Fez-se, então, uma estimativa de quais empregos em tecnologia provavelmente não desaparecerão nos próximos anos.

O resultado pode ser um grande indicativo para quem está entrando na área e mostra quais profissões são promissoras.

Fonte: Burning Glass/NOVA

Podemos ler a tabela e tirar nossas próprias conclusões, mas, aqui, vamos citar três das profissões da lista para analisarmos com mais detalhes

A primeira são os desenvolvedores de software que têm baixo risco de automação, pois uma codificação elegante e eficaz exige níveis humanos de lógica e criatividade. Mas vale lembrar que produção de códigos padrão pode ser automatizada, e isso vai exigir que os desenvolvedores sejam cada vez mais eficientes para não serem substituídos por um algoritmo.

Na mesma linha, é lógico que os analistas tenham uma vantagem considerável sobre a automação. Um software até pode processar conjuntos gigantescos de dados, mas é preciso intuição humana – e novamente criatividade – para realmente extrair informações úteis de todos esses dados. Outra vantagem de um analista sobre a inteligência artificial é que, ainda, um ser humano tem mais capacidade em lidar com detalhes, imprevistos e exigência dos usuários, incluindo a de executivos de uma empresa.

Uma profissão interessante nessa lista de empregos de tecnologia é o “especialista em suporte ao usuário”. E podemos nos perguntar: Mas essa profissão já está sendo substituída por chatbots e outros softwares automatizados, não é verdade?

De fato, isso é uma verdade. Mas para a Burning Glass embora você possa treinar um chatbot para seguir um script simples, os seres humanos simplesmente não gostam de interagir com os chatbots, mesmo que não tenham certeza absoluta de que estão interagindo com um software em oposição a um ser humano. Esse “fator de repulsa” pode retardar a adoção, apesar do aumento de ferramentas de criação de chatbot, como o Bot Builder SDK da Microsoft e o Dialogflow do Google. Teremos que observar as tendências dos próximos anos.

Não podemos subestimar a capacidade da inteligência artificial, muitas mudanças irão ocorrer nos próximos anos e devemos estar preparados. Mas, se você está começando na área de TI, uma lição importante que deve aprender é que, para não sermos superados pelas nossas criações, devemos imprimir nossa humanidade em nosso trabalho. Empatia, iniciativa, intuição, criatividade e capacidade de comunicação são qualidades importantes e que nos diferenciam dos robôs.

Fontes: Burning Glass e Dice Insights

Tags

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button
Close